Você foi demitida grávida e precisa da ajuda de um advogado trabalhista?

Somos especialistas em defender gestantes com mais de 8 anos de experiência.

Você foi demitida grávida e precisa da ajuda de um advogado trabalhista?

Somos especialistas em defender gestantes com mais de 8 anos de experiência.

Seja atendida Online por WhatsApp. Estamos em mais de 11 estados e, em mais de 32 cidades do Brasil

Você sempre poderá entrar em contato por WhatsApp. Sabemos que não são processos, são vidas

Nota Máxima no Google segundo as mais de 80 avaliações de nossos clientes

Não somos "clínicos gerais". Seja atendido por um especialista em direitos da gestante

Fui demitida grávida! O que preciso saber sobre os meus direitos?

A gestante é quem possui maior proteção na lei trabalhista.

É assim porque, neste momento delicado, a lei foi feita para dar sólida proteção para você e, principalmente, para o seu bebê.

Se você foi demitida grávida, a justiça considera essa demissão discriminatória.

Por isso, procurar os seus direitos é um ótimo caminho para trazer segurança para você e para seu bebê.

Você tem direito a estabilidade no emprego desde a sua gravidez até 5 meses após o parto.

Isso quer dizer que você tem direito de receber todos os salários desse período: desde a sua demissão, até 5 meses após o parto.

Você também tem direito de receber as férias, o 13º salário, e o FGTS desse período, como se estivesse trabalhando normalmente.

Por que você não utilizaria a proteção especial que a lei dá a você e ao seu bebê?

Fui demitida grávida! O que preciso saber sobre os meus direitos?

Se você está grávida, precisa saber que a gestante é quem possui maior proteção na lei trabalhista.

É assim porque, neste momento delicado, a lei foi feita para dar sólida proteção para você e, principalmente, para o seu bebê.

Se a demissão foi sem justa causa, na justiça, ela é considerada uma demissão discriminatória.

Se você  foi demitida grávida,  procurar os seus direitos é um ótimo caminho para trazer segurança para você e para seu bebê.

Você tem direito a estabilidade no emprego desde a sua gravidez até 5 meses após o parto.

Isso quer dizer que você tem direito de receber todos os salários desse período: desde a sua demissão, até 5 meses após o parto.

Você também tem direito de receber as férias +1/3, o 13º salário, e o FGTS desse período, como se estivesse trabalhando normalmente.

Por que você não utilizaria a proteção especial que a lei dá a você e ao seu bebê?

Um exemplo para você
entender bem

Supondo que Maria ganhe R$ 2.200 e que foi demitida grávida no segundo mês de trabalho.

Neste exemplo, Maria teria 12 meses de direitos para receber (os 7 meses que faltam para ela dar a luz, mais os 5 meses de estabilidade).

Maria teria, então, aproximadamente R$35.000,00 para receber.

12 meses de salário: R$ 26.400
Décimo Terceiro Salário: R$ 2.200,00
Férias + 1/3: R$ 2.930,00
FGTS: R$ 2.200,00
Multa de 40% sobre o FGTS: R$ 844,80.


Total: R$ 34.574,8

Além do valor acima, é muito provável que Maria também consiga um Dano Moral por ter sido demitida grávida, ou seja, por ter sofrido uma dispensa discriminatória.

Esses direitos são importantes para Maria porque assim ela consegue mais segurança financeira para ela e para o bebê que está vindo em um momento tão importante de sua vida.

Um exemplo para você
entender bem

Supondo que Maria ganhe R$ 2.200 e que foi demitida grávida no segundo mês de trabalho.

Neste exemplo, Maria teria 12 meses de direitos para receber (os 7 meses que faltam para ela dar a luz, mais os 5 meses de estabilidade).

Maria teria, então, aproximadamente R$35.000,00 para receber.

12 meses de salário: R$ 26.400
Décimo Terceiro Salário: R$ 2.200,00
Férias + 1/3: R$ 2.930,00
FGTS: R$ 2.200,00
Multa de 40% sobre o FGTS: R$ 844,80.


Total: R$ 34.574,8

Além do valor acima, é muito provável que Maria também consiga um Dano Moral por ter sido demitida grávida, ou seja, por ter sofrido uma dispensa discriminatória.

Esses direitos são importantes para Maria porque assim ela consegue mais segurança financeira para ela e para o bebê que está vindo em um momento tão importante de sua vida.

Como te atendemos

Você entra em contato por WhatsApp para uma análise prévia do seu caso. Tomamos o mínimo do seu tempo.

Um advogado especialista analisa o seu caso e te informa as chances de sucesso na Justiça do Trabalho e, no INSS para o Auxílio-Maternidade.

Se você tiver um bom direito, poderá nos contratar. Todas as assinaturas necessárias são feitas diretamente pelo celular sem que você tenha que instalar nenhum programa.

Montaremos o seu processo na Justiça do Trabalho e seu pedido de Auxílio-Maternidade no INSS. Te informaremos cada passo do processo com antecedência.

Precisa de ajuda?

Nos envie um WhatsApp para uma análise prévia do seu caso.

Nós cuidamos de tudo que for necessário, do início ao fim.

O que faremos por você

Analisamos o seu problema no primeiro contato e somos sinceros sobre quais suas chances de vitória.


Atendemos com empatia: você não será tratada como mais um caso qualquer.


Somos rápidos e objetivos no atendimento e tomamos o mínimo do seu tempo.


Entramos com o processo em até 5 dias úteis após o envio dos documentos.


Se você tiver um bom direito, não mediremos esforços para te defender na justiça.

O que NÃO faremos por você

Nosso serviço se destina a gestantes demitidas, com ou sem justa causa, ou que estão sofrendo assédio no trabalho para pedirem demissão.


Não pegamos seu caso se você não tiver um bom direito ou chances sólidas de sucesso.


Não prometemos resultado.


Não damos descontos nos nossos honorários. Nossa equipe é dedicada e trabalha duro.

Depoimentos

LI Diniz O céu é o limite!!
LI Diniz O céu é o limite!!
Eu fiquei muito feliz com o atendimento e a atenção dispensada.A competência me inspirou muita confiança e segurança.Só tenho a agradecer,sempre vou indicar o escritório a outros.Desejo que vocês cresçam e prosperem nessa profissão tão especial,que ajuda muitas pessoas.
Keren Alves
Keren Alves
Indico de olhos fechados. Dedicação a todo momento. Parabéns a todos os envolvidos.
Felipe Andrades
Felipe Andrades
Atendimento ótimo
Mateus Rodrigues
Mateus Rodrigues
Oie bom tarde ótimo profissional.muito obrigado por tudo super indico ❣️
Stefani Dos santos
Stefani Dos santos
Agradeço muito por tudo que o doutor Guilherme fez por mim , ele é um grande advogado e me ajudou muito com meu processo sem contar a atenção e o cuidado que ele tem com o cliente 🙏🤩
Alexandre Alves de Oliveira
Alexandre Alves de Oliveira
E um ótimo advogado e gente boa trabalho certo e bom com ele tiver meus problema resolvindos
Rute Sousa
Rute Sousa
Excelente
Hernandes
Hernandes
Excelente advogado, recomendo!
Karol Alves
Karol Alves
Sou de Apucarana Paraná e o Guilherme foi um ótimo advogado pra mim muito atencioso! Agradeço demais 😊
Jordã Passos
Jordã Passos
Dr Guilherme é um profissional atencioso, transparente e muito capacitado. Recomendo esse profissional.
eu1-removebg-preview-fundo

Quem é a GV Advocacia?

Somos a terceira geração da família que atua na área jurídica.

Temos experiência jurídica desde 2009 e, desde 2019 nossa atuação é focada exclusivamente em defender trabalhadores que sofreram injustiças.

A partir de 2020 começamos a realizar atendimentos on-line.

Hoje, estamos presentes em praticamente todo o Brasil.

As mais de 80 avaliações de nossos clientes, com nota máxima no Google comprovam o nosso cuidado e atendimento.

Quem é a GV Advocacia?

eu1-removebg-preview-fundo

Somos a terceira geração da família que atua na área jurídica.

Temos experiência jurídica desde 2009 e, desde 2019 nossa atuação é focada exclusivamente em defender trabalhadores que sofreram injustiças.

A partir de 2020 começamos a realizar atendimentos on-line.

Hoje, estamos presentes em praticamente todo o Brasil.

As mais de 80 avaliações de nossos clientes, com nota máxima no Google comprovam o nosso cuidado e atendimento.

Para você consultar:

Nosso registro na OAB/SP é o de nº. 41.967.

Nosso CNPJ é o de nº. 45.307.850/0001-75.

Estamos sediados na rua dos Pinheiros, nº. 1474, Pinheiros, São Paulo – SP.

Para pesquisar nossos processos procure pela OAB do sócio fundador do escritório: OAB/SP  nº. 369.100.

Queremos que pesquise o nosso trabalho. Para nós, é um orgulho.

Dúvidas Frequentes

É possível receber seus direitos sem voltar a trabalhar. Neste caso, você precisa tomar cuidados para que não fique caracterizado o que chamamos de “abuso de direito”. Sugerimos que você contrate um advogado trabalhista que está acostumado a defender gestantes e que saiba como conduzir o seu caso de modo a defender os seus interesses.

O desconhecimento da gravidez tanto do patrão, quanto da mãe, não impede o direito à estabilidade.

Portanto, se você pediu demissão e depois descobriu que estava grávida, você pode buscar os seus direitos.

A estabilidade começa a valer da gravidez e não do momento em que a gravidez é descoberta. Por exemplo: se a mulher descobriu em março que estava grávida desde fevereiro, a estabilidade existe desde fevereiro. Ou seja, desde fevereiro ela não poderá ser demitida, não importa o momento em que ela descobriu a gravidez.

Sim. Se você foi demitida grávida na expêriência, pode buscar seus direitos, é a mesma regra.

Se você descobriu após a demissão que já estava grávida quando foi demitida, você pode buscar seus direitos. Na justiça, o desconhecimento da gravidez não é desculpa. Lembre-se: a lei protege a mulher grávida e principalmente a criança.

Se você engravidou durante o aviso prévio e ainda está trabalhando, avise seu patrão para que ele anule sua demissão. Se você já não está mais trabalhado mas, ficou gravida durante o aviso prévio, você pode buscar seus direitos.

Você tem os mesmos direitos que uma gestante que é registrada na carteira. Para isso, você precisa conseguir a anotação da carteira de trabalho na justiça. Se é o seu caso, procure um advogado trabalhista com urgência, para não perder o seu Salário-Maternidade no INSS e a indenização do período de estabilidade.

Você sabia que 88% das justas causas são revertidas na justiça? Se você foi demitida grávida por justa causa, a depender da situação, é possível reverter a justa causa na justiça. Neste caso, você terá garantido todos os direitos que a gestante possui.

Se de alguma forma você foi pressionada a pedir as contas, é possível reverter a situação na justiça e considerar o seu pedido de demissão nulo. Assim, você poderá receber todos os direitos que possui.